Terapia intensiva: um elo entre preparo técnico, físico e emocional

Organizadores: Bárbara Queiroz de Figueiredo, Júlia Fernandes Nogueira, Ana Paula Ferreira Araújo, Talita Marques da Silva, Alanna Simão Gomes

ISBN: 978-65-5381-034-1

DOI: 10.51859/amplla.tie341.1122-0

Ano da publicação: 2022

Uma unidade de tratamento intensivo (UTI) ou unidade de cuidados intensivos (UCI) é uma estrutura hospitalar que se caracteriza como “unidade complexa dotada de sistema de monitorização contínua que admite pacientes potencialmente graves ou com descompensação de um ou mais sistemas orgânicos e que com o suporte e tratamento intensivos tenham possibilidade de se recuperar. A configuração básica da UTI deve abranger monitorização multiparâmetros, suporte de ventiladores artificiais, cama especial com controle elétrico, além de aparelhos utilizados em doenças graves por especialidade, entre outros tipos de aparelhagem. A equipe da UTI conta com médicos intensivistas, médicos assistentes plantonistas com treinamento em medicina intensiva, além de enfermeiros, fisioterapeutas, farmacêuticos clínicos, fonoaudiólogos e equipe de suporte nutricional especializados em doenças graves e treinamento em ambientes de alta complexidade. Quando se trata do atendimento em uma Unidade de Terapia Intensiva, a preocupação no contexto de evolução médica e hospitalar se intensifica, tendo em vista que este setor hospitalar promove o cuidado a pacientes de alta complexidade e qualquer intervenção inadequada pode representar uma piora de quadro ou mesmo um óbito.